sábado, 12 de setembro de 2015

Ano novo

Caros alunos da Turma Girassol,
Ana Costa, Ana Filipa, Ana João, Ana Raquel, Bruna Costa, Daniel Cunha, Daniela Azevedo, David Ricardo, Diogo Dinis, Lara Cardoso, Lourenço Martins, Inês Vale, Mariana Pinto, Mariana Antunes, Mariana Silva, Simão Silva, Tiago Simões, Tiago Teixeira, Tito Mendes, Vasco Magalhães e Vitor Faria.

Ficou na nossa sala de aula tudo o que nos era conhecido e muita da nossa segurança, parecendo até que o que aí vem é tudo novo, estranho e obscuro.

E há novos medos!

Mas se todos olharmos bem, e olharmos um pouco mais longe, o que há a seguir já estava ligado a nós todos pelo desejo de continuar a fazer o caminho do aprender.
E agora assentando cada momento em aprendizagens antigas, e algumas revistas já vezes em conta, só temos que seguir os novos caminhos, que há novos mundos para descobrir, já, a partir destes dias.
E há novas relações para estabelecer e aprofundar com pessoas que até aqui eram desconhecidas ou se situavam bem longe.


E há novas amizades para fazer!

Levamos as amizades antigas e elas nos fazem bem e reconfortam a alma, perante as estranhezas da escola nova e dos novos colegas.
A apoiar cada um de nós, no vosso percurso futuro, está a memória dos nossos amigos e companheiros que acompanharam o percurso passado, durante os quatro anos de primeiro ciclo e que não se esquecem…

Pois não?


Ass: Bicho Que Conta

quinta-feira, 4 de junho de 2015

Viagem de Estudo

Nos dias 22 e 23 de maio a Turma Girassol foi, em visita de estudo, às serras d’Aire e Candeeiros.
A Turma iniciou a sua viagem às 9h 15m e passado algum tempo chegaram a uma área de serviço onde lancharam e brincaram no parque, enquanto o condutor descansava algum tempo.
A seguir retomaram a viagem para chegar a Rio Maior onde foram em direção às salinas.
Encontraram a pele de uma cobra e dividiram-na por todos.
Depois viram sal em estado sólido e sem mar. Esse sal vinha de um poço muito fundo, dissolvido em água que é evaporada em tanques rasos para o sal ficar pousado no fundo do tanque de onde os salineiros o retiram para vender.
Ali encontraram o Luís Matias e percorreram vários dos caminhos entre os tanques. Também tiraram fotos.
Almoçaram na Terra-Chã e em seguida foram ver silos medievais muito estranhos pois são buracos fundos, cavados na rocha argilosa, para guardar bens ou pertences. E ainda um forno romano de telha canudo.
Depois foram ver uma anta à beira de uma igreja e seguiram para a gruta das Alcobertas.
A caminho viram um rebanho de cabras, uma cadela chamada Farrusca e o seu pastor que se chamava Raúl. À entrada da gruta, o clube A colocou o capacete e entrou na gruta, enquanto o clube B, que ficou à espera pela sua vez, brincava com a Farrusca.
Depois a Farrusca foi-se embora com o seu rebanho e o pastor.
O clube B entrou depois na gruta, também guiado pelo Ricardo.
Quando os clubes se juntaram de novo, foram para casa do Luís Matias para jantar e dormir. Jantaram esparguete à bolonhesa e de sobremesa comeram salada de fruta com leite condensado.
Dormiram num sótão que tinha muitos brinquedos de criança e no dia seguinte tomaram o pequeno-almoço à beira de um lago.
De seguida foram ver as pegadas dos dinossauros na pedreira de Vale de meios e foram ver a gruta do Algar do Pena.
Almoçaram junto ao rio Alviela e no fim do almoço foram ver a nascente do mesmo e a entrada na gruta da ribeira dos Amiais.

De regresso a casa passaram pelo Arrimal onde lancharam e comeram um gelado.

Equipa Azul 
(Bruna; Daniela; Maria Inês; Tiago Miguel e Tiago Rui)

segunda-feira, 18 de maio de 2015

Exame de Português

Mais uma vez na Júlio!

Desta vez com motivo bem sério.
No final havia satisfação moderada mas também o conforto da obrigação cumprida.

Agora preparamo-nos para o desafio seguinte e depois aguardaremos pacientemente os resultados.

O Príncipe Feliz


         A andorinha despediu-se do príncipe e o príncipe deixou-a ir. 
         No entanto, ficou a promessa que na próxima primavera a Andorinha voltaria! Pois eles combinaram que iriam continuar a ser bons amigos e a ajudar as pessoas.
         Até que a Andorinha foi para o Egito. Viajou, mas, ficou com muita pena de ter deixado o amigo.
         A Andorinha ficou com muitas saudades do Príncipe Feliz e o príncipe com muitas saudades da Andorinha. Mas o príncipe não podia fazer nada para trazer de volta a Andorinha, apenas esperar que a próxima primavera chegasse rapidamente e a Andorinha surgisse voando no horizonte.
        A primavera chegou devagarinho… a viagem foi longa, mas um dia aconteceu.
        Finalmente a Andorinha chegou e deu um grande abraço ao príncipe batendo as suas asinhas.
        Foi aí que o Príncipe Feliz teve a certeza de uma coisa. Podia continuar a ajudar as pessoas com a colaboração da sua amiga Andorinha.
        Ficaram os dois muito felizes, as asas da Andorinha brilhavam como ouro e o coração do príncipe estátua parecia bater como um coração humano.     

Lourenço 

sexta-feira, 15 de maio de 2015

Dia Internacional da Família

 15 de maio é, desde 1994 o  Dia Internacional da Família.
A data foi escolhida pela Assembleia Geral da ONU, com o objetivo de:
  • destacar a importância da família na estrutura do núcleo familiar e o seu relevo na base da educação infantil;
  • Reforçar a mensagem de união, amor, respeito e compreensão necessárias para o bom relacionamento de todos os elementos que compõem a família;
  • Chamar a atenção da população para a importância da família como núcleo vital da sociedade e para seus direitos e responsabilidades desta;
  • Sensibilizar e promover o conhecimento relacionado com as questões sociais, económicas e demográficas que afetam a família.