sexta-feira, 31 de Outubro de 2014

Diálogo

A partir da leitura de um texto de Rébecca Dautremer "Nasredin & o seu burro" continuámos o diálogo entre a mãe do Nasredin e o seu filho depois de ele regressar do mercado.

Planificação (assuntos que têm que ser tratados no texto?

A demora ou não;
Se ganhou com a venda o suficiente para as compras;
Dinheiro que ganhou e/ou sobrou;
O que vendeu;
O que comprou;
Reação dos vizinhos e contentamento do rapaz.


Texto da Equipa Azul:

– Mãe! Demorei muito? – Perguntou o Nasredin.
– Não demoraste nada, meu filho. – Respondeu a mãe e perguntou de imediato – Trouxeste tudo que te pedi?
– Sim mãe! – Exclamou o Nasredin.
– Sobrou algum dinheiro? – Perguntou a mãe.
– Não mamã. Gastei tudo. – Respondeu Nasredin. – Vendi os damascos e ovos que me mandaste, comprei alhos, azeite, mel e beringelas e o dinheiro foi todo!
– Muito bem, filho. – Disse a mãe.
– Mãe! Os meus vizinhos elogiaram-me! Disseram que eu sou um bom vendedor e ainda “ Feliz o pai que tem um filho tão desembaraçado.” – Disse Nasredin muito contente.

– Estou muito feliz por isso, e orgulhosa! Mas agora vamos fazer o penso do teu pai.  

Texto da Equipa Um:

Nasredin chega a casa e vai ter com a sua mãe que lhe diz:
– Foste rápido! Ganhaste dinheiro suficiente  para as compras que te pedi?
– Sim. – diz o rapaz.
– E vendeste tudo? – perguntou a mãe.
– Vendi tudo, comprei tudo o que pediste e sobraram-me dois euros. – disse Nasredin, satisfeito, e continuou. – E os vizinhos elogiaram-me!
– E o que é que eles disseram? – pergunta ela.
 – “Que bom vendedor tu és!” e outro disse – “Feliz o pai que tem um filho tão desembaraçado.”
– Estou muito orgulhosa de ti. – respondeu a mãe, sorrindo e abraçando o seu filho.

Texto da Equipa Jota:

Nasredin demorou ainda algum tempo até chegar a casa e, quando finalmente chegou, a mãe perguntou-lhe:
– Vendeste tudo?
 – Sim, mãe! – Respondeu Nasredin.
– Chegou o dinheiro para o que te pedi? – Questionou a mãe.
­­– Sim. Para tudo! – Responde rapidamente o rapaz, acrescentando. – Ah! Mãe. Os nossos vizinhos elogiaram-me dizendo “Feliz o pai que tem um filho tão desembaraçado.” e um outro disse que eu sou um bom vendedor.
– Que bom filho que eu tenho. Estou orgulhosa de ti.
Nasredin foi ao quarto ver o seu pai e disse:
– Meu pai, já fui vender os ovos e os damascos, a mãe está a fazer o teu curativo com alhos, azeite e mel. Também vai fazer um delicioso gratinado de queijo com beringelas.

Texto do Grupo dos Cinco:

– Nasredin, voltaste depressa. Que bom!
– Despachei-me rápido.
– Vendeste tudo?
– Claro! E os vizinhos até me elogiaram.
– Ganhaste dinheiro que chegue para comprar os produtos que eu te mandei?
– Sim. Olha. Até sobrou dinheiro! Estão aqui!

– O teu pai vai ficar muito contente contigo, que eu já estou!

terça-feira, 28 de Outubro de 2014

"Os meninos e o senhor E"

"Os meninos e o senhor E" foi a história que a PSP apresentou hoje, ao final da manhã, às turmas de quarto ano da nossa escola.
Dois agentes do Programa da Escola Segura da PSP de Vila Nova de Famalicão estiveram uma hora com os alunos das duas turmas do quarto ano da escola conde de São Cosme.
Enquanto o Comissário que comanda o serviço da Escola Segura em Famalicão veio, sobretudo, conhecer a escola, foi o Chefe Silva que orientou a sessão de trabalho onde a Sara, da turma AB, leu a o texto "Os meninos e o senhor E".
O senhor "E" é um estranho, o vilão desta história, e o objetivo da mesma é alertar os meninos para não falarem com estranhos e ensinar-lhes que podem sempre pedir ajuda ao "Falco", a mascote da PSP que representa o falcão polícia, "sempre vigilante". Este conto tem um caráter pedagógico e o objetivo de transmitir conselhos de segurança e de autoproteção às crianças, nomeadamente na relação com pessoas estranhas.
O Chefe Silva disse que quando alguém, estranho à escola e aos alunos, se abeirar para conversar, contar uma história ou oferecer alguma coisa, os meninos não devem falar com ele, devem afastar-se e chamar a auxiliar da escola, a professora da turma ou outro docente. Também referiu que a segurança dos alunos começa pelo seu próprio comportamento, na escola e também fora dela, nomeadamente no caminho para casa.
Quando os alunos se deslocam para a escola, a pé e sem a companhia de adultos, devem procurar juntar-se em grupos e nunca aceitar boleias ou outras ofertas de estranhos. Além disso, qualquer aproximação de adulto estranho, ou exterior à família e escola, deve ser relatado aos pais ou aos adultos que normalmente cuidam de cada um.
Também se falou da internet e das redes sociais e da importância do acompanhamento dos pais ou dos professores, quando se usam computadores com ligação à internet.

Durante a sessão, alguns alunos apresentaram questões e fizeram comentários que serviram para que todos passassem a ter um conhecimento maior sobre os perigos das relações humanas e as necessidades de cuidado e atenção nos contactos com estranhos ou mesmo com pessoas que não sendo completamente estranhas não podem ser confundidas com amigos.

quinta-feira, 16 de Outubro de 2014

Dia Mundial da Alimentação



Neste Dia Mundial da Alimentação provámos fruta que nunca tínhamos provado e alguma que não conhecíamos mesmo.
Alguns dos frutos que provámos são mesmo muito doces, outros de sabor estranho e o marmelo é bem ácido! 

Depois pensamos e conversámos sobre a importância da alimentação e de que a mesma seja saudável. 
E até nos lembrámos deste texto de Eugénio de Andrade sobre ...

" Frutos"

Pêssegos, peras, laranjas,
morangos, cerejas, figos,
maçãs, melão, melancia,
ó música de meus sentidos,
pura delícia da língua;
deixai-me agora falar
do fruto que me fascina,
pelo sabor, pela cor, 
pelo aroma das sílabas:
tangerina, tangerina.

domingo, 12 de Outubro de 2014

Reconhecimento

A turma Girassol apresenta o seu reconhecimento à Direção do Agrupamento de Escolas Camilo Castelo Branco que, muito especialmente na pessoa da Diretora Dr.ª Fátima Cerqueira, sempre revelou muita atenção e carinho pelas atividades da nossa turma, muito especialmente as que vieram a transpor os muros da nossa escola, como as atuações do Coro Girassol, sob a direção do Prof. Rui Mesquita, culminando com a gravação do CD "Os Cozinheiros da Oz", e a participação no atelier de teatro promovido pelo Centro de Estudos Camilianos.
A nossa turma tentou sempre honrar essa atenção, respondendo com criatividade, responsabilidade, empenho e dedicação para aprender, fazer e ser cada vez melhor.
Pelo que neste dia, recebemos com especial satisfação uma camisola com o grafismo do Agrupamento.
Aqui deixamos os nosso agradecimento a toda a Equipa Diretiva que agora termina o seu mandato e os desejos de felicidades futuras.
À Dr.ª Fátima Cerqueira dedicamos todo o nosso carinho.
Quanto às camisolas...

Para já é muita a vaidade mas comprometemo-nos a honrá-las e a usá-las nos momentos em que a identificação se justificar.